História

Publicado em 18/07/2014 07:19:45

Por Francisco Bonato Pereira da Silva - Pastor

A Primeira Igreja Batista do Recife, pastoreada pelo Reverendo Joel de Oliveira Bezerra, celebrou o 122º Aniversário de organização, dedicados à proclamação da Palavra de Deus, glorificação a Deus e a edificação do Corpo de Cristo, com a celebração de Cultos em Ação de Graças ao Senhor, nos dias 4, 5 e 6 de abril de 2008, e com a realização de Seminário para Pastores e Líderes, nos dias 4 e 5 de abril, com o preletor, pastor Russel Shedd, expondo o tema: “Espiritualidade em um Tempo chamado Pós-Moderno”.

A programação comemorativa constou de: (a) Cultos em Ação de Graças ao Senhor, nos dias 4 a 6 de abril de 2008, com conferências doutrinárias proferidas pelo pastor Russel Shedd, e participação na celebração dos grupos musicais da Igreja, sob a direção do Pastor Joesio Gomes e do casal Mércia e Anildo Santos, do Ministério de Celebração; (b) Seminário para Pastores e Líderes, tendo como preletor o pastor Russel Shedd, nos dias 4 e 5 de abril, sob o tema: Espiritualidade Genuína em Momentos de Mudança, com maciça presença de membros da Igreja e de pastores e lideranças de igrejas co-irmãs.

A síntese histórica: 
1. A organização. A PIB Recife foi organizada em 4 de abril de 1886 – a sexta igreja batista no Brasil –, precedida das IB Santa Bárbara (1870), Estação (1878), Bahia (1882), Rio de Janeiro (1884) e Maceió, AL (1885), em Concilio foi dirigido por Charles Daniel, composta a Igreja dos membros: “Rev. W. de Melo Lins, D. Luiza Nascimento de Mello Lins, Rev. Charles Davis Daniel, D. Lena Kirk Daniel, João Francisco de Souza e João da Cruz Lima”, com o nome de “Egreja de Christo, denominada Batista, na cidade do Recife, Província de Pernambuco” (sic). (Lins, W. de Mello. Ata de organização, 04.04.1886). Ainda em 1886 o rebanho aumentou com treze novos convertidos, batizados por Mello Lins, que assumiu o pastorado. (SILVA, LEONICE FERREIRA. PRIMEIRA IGREJA BATISTA DO RECIFE: Episódios de sua história: 2003, p. 26). 
Os batistas iniciaram a proclamação do Evangelho de Jesus Cristo no Recife com a chegada de Zacharias Taylor, auxiliado por Mello Lins. Este último, já convertido, professou a fé em Cristo e foi batizado no rio Morno, afluente do Rio Beberibe, por Taylor (06.05.1885), sendo o primeiro batista de Pernambuco. Batizado, Mello Lins viajou com Taylor a Maceió (AL) onde participou da organi-zação da Primeira Igreja Batista de Maceió (17.05.1885). 
Um problema ocorrido na PIB Recife, quando um membro da Igreja abandonou o lar e a esposa e quis casar novamente, e teve a desaprovação do pastor Mello Lins, gerou a divisão no rebanho. Mello Lins foi dispensado do ministério por Zacharias Taylor, acarretando a dispersão da igreja (1889). 

2. A reorganização. Zacharias Taylor fez algumas visitas ao Recife, visando reunir o rebanho, mas sem êxito. Salomão Ginsburg e William Entzminger foram enviados ao Recife (1892) para reunir os membros e reorganizar a Igreja. A experiência de Ginsburg e seu conhecimento da cidade em muito contribuíram para o êxito da missão. Trabalhando com afinco reuniram vinte membros que permaneceram fieis e, junto com novos convertidos, foi reorganizada a Igreja em 25 de julho de 1892, com vinte e nove (29) membros, e eleita a diretoria: William Edwin Entzminger (pastor), Antonio Pacheco (secretário), Manuel Henrique da Silva (tesoureiro) e João Batista de Oliveira (diácono) (SILVA: 2003, p. 35). 

3. O ministério Entzminger (1892-1900). O missionário Entzminger assumiu o pasto-rado da IB Recife e trouxe a família no Recife, na Rua da Intendência, nº 20 (hoje Manoel Borba), mudando-se depois para uma chácara em Casa Forte. (SILVA: 2003, p. 41). Entzminger iniciou a pregação do Evangelho, no templo e nos bairros do Jiquiá e de Santo Amaro. Iniciou uma classe para treinar discípulos para o ministério, da qual saíram Emigdio Bento Alves, Juvêncio Índio do Brasil e Pedro Falcão. Como fruto do seu trabalho e de seus auxiliares – Mello Lins, Emigdio Bento, Juvêncio Brasil, Pedro Falcão, Felicidade Cordeiro e Inocêncio Frias – foram organizadas as primeiras igrejas batistas: Goiana (1892); Nazaré (1896); Cachoeira (1899) e Natal (1892), no Rio Grande do Norte. O trabalho feminino na Igreja teve inicio, sob a direção de sua esposa Maggie Griffith Entzminger, com ativa participação das mulheres. O missioná-rio Entzminger encerrou o ministério em Pernambuco (1900), em face das doenças que o afligiam o casal e ceifara a vida de dois filhos, mudando-se para o Rio de Janeiro, deixando no campo nove igrejas e mais de quinhentos membros. 

4. O ministério Ginsburg (1900 – 1909). O missionário Salomão Louis Ginsburg e sua esposa Emma chegaram ao Recife em junho de 1900, para pastorear a PIB Recife e dirigir o Campo de Pernambuco. No seu ministério organizou a União Batista Leão do Norte, a gênese do trabalho cooperativo estadual em 31 de dezembro de 1900, hoje a Convenção Batista de Pernambuco, mais antiga convenção estadual em atividade. 
Salomão Ginsburg no seu ministério expandiu a pregação do Evangelho de Cristo, organizando doze igrejas batistas em Pernambuco: Garanhuns (1901); Jaboatão (1902); Palmares (1902); Cortez (1903); Moganga (hoje Siriji, 1903); Gameleira (Recife, 1905); Cordeiro (Recife, 1905); Gravatá (1905); Lagedo (Goiana, 1906); Cabo (1908); Torre (Recife 1908); e Limoeiro (1908) e Atalaia (1907) em Alagoas. Fundou, em 02.04.1902, o Seminário Batista (hoje Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, STBNB), o mais antigo seminário batista das Américas e junto com William Henry Cannada e o Professor Jose Piani, Colégio Americano Gilreat (1906). O projeto inicial era mandar os alunos para o Seminário Presbiteriano, em Garanhuns, todavia a saída de Efigênio Sales da igreja presbiteriana interrompeu as boas relações entre presbiterianos e batistas (Othon Ávila Amaral). Emma Ginsburg se dedicou a ensinar aos alunos do Seminário, inclusive a ler e escrever. Estimulou o entusiasmo das mulheres da PIB Recife, organizando a Sociedade Auxiliadora de Senhoras (1901), como fizera na PIB Niterói (1893), na PIB Campos (RJ) e na PIB São Fidelis (RJ). As mulheres eram ativas participes das atividades da igreja, em especial nos cultos de evangelização, registrando-se sua presença na organização da IB Cordeiro (1905), IB Gameleira (hoje Imperial, 1905) e PIB Torre (1908).
A perseguição religiosa e a conversão de padres (1903). A perseguição contra os batistas se intensificou depois da chegada de Ginsburg, sendo criada a Liga contra Protestantes (1902) por Celestino di Pedavolli, que dirigiu calúnias e perseguiu aos evangélicos no trabalho, pedindo aos patrões e ao comandante militar a dispensa dos crentes, sem êxito. A questão das Bíblias Falsas chegou aos jornais e a sociedade tomou posição. O resultado foi uma venda recorde de Bíblias e a conversão de muitas pessoas ao Evangelho de Cristo, como os padres salesianos José Piani (1903), entre os batistas, e Constancio Omegna, entre os presbiterianos. Piani ingressou no Seminário no Recife e depois no Seminário de Louisville (USA) onde recebeu o grau de doutor em teologia. Voltou ao Brasil (1911), ensinando no Colégio e no Seminário Batista (Rio de Janeiro) e pastoreou a IB Central Rio de Janeiro, no Catumbi. Casou com uma jovem italiana, indo pastorear uma igreja batista na Lousiana (USA) entre italianos (1917). 
A organização da CBB, na PIB Bahia, em Salvador (BA), em julho de 1907, foi um fato relevante para os batistas do Brasil, onde Ginsburg teve participação destaca-da, sendo apelidado de “Pai da CBB”. A CBB era o orgão de cooperação das igrejas batistas no Brasil, por ele idealizado que, em Pernambuco, organizara (30.12.1900), a primeira convenção estadual – a União Batista Leão do Norte. A 3ª Assembléia da CBB ocorreu na PIB do Recife, na Rua Formosa, nº 21, em julho de 1909, com 48 mensa geiros, em evento que atraiu a atenção da sociedade pernambucana. Uma das delibe- rações da assembléia foi transferir Ginsburg para a Bahia.

5. O ministério Hamilton (1909-1911). O missionário David Luke Hamilton pastoreava a PIB Maceió e dirigia o Seminário Batista, no Recife, quando a mudança de Ginsburg para a Bahia, o levou a assumir o pastorado da IB Recife e a liderança do campo pernambucano. 
O missionário Hamilton, dedicando-se de forma mais efetiva ao Seminário e ao Colégio, auxiliado pelos casais John Sheppard, Harold Muirhead e Bertha Mills, não descurou da evangelização. Ele se dedicou à congregação do Largo do Feitosa, da IB Recife, organizada igreja (191) com o nome de Igreja Batista do Feitosa. Mais tarde organizou a IB do Arruda (1918), filha da IB Feitosa, e a PIB Beberibe, filha da IB Arruda. 

6. O ministério Muirhead (1911-1913). O casal missionário Alyna e Harvey Harold Muirhead chegam ao Recife em dezembro de 1907, para trabalhar no Colégio Batista, junto Bertha Mills, filha de imigrantes de Santa Barbara (SP). Eles chegaram ao Recife em momento de grande carência pela mudança do casal Sheppard para o Rio de Janeiro e do casal Canadá em viagem de férias (USA). Restava o casal Emma e Salomão Ginsburg para, sozinhos, cuidar do Seminário, do Colégio e das igrejas do campo. Os Muirhead logo que puderam se falar português, se dedicaram a ensinar no Colégio, onde serviram até 1927

7. O ministério Borges da Rocha (1913-1917). O pastor João Borges da Rocha assumiu o pastorado da IB Recife em 1913 e nela serviu até 1917, quando mudou para Vitoria S. Antão para dirigir a congregação e, depois, a igreja organizada. No seu pastorado a direção do campo foi desvinculada do IB Recife. A União Batista Leão do Norte se transformou na Convenção Batista Regional incluindo dezoito Igrejas Batistas de: Maceió (1885), Goiana (1892), Nazaré da Mata (1896), Rio Largo (1900), Penedo (1900), Garanhuns (1901), Gravatá (1905), Cordeiro (1905), Atalaia (1907), Torre (1908), Cabo (1908), de Vila Natan (1910), Feitosa (1913), de Pontes do Carvalho (1913), e da Paraíba (1914), na assembléia realizada na Igreja Batista do Cordeiro, em abril de 1915. 

8. Os ministérios Taylor e Munguba. O missionário William Carey Taylor assumiu o pastorado da IB Recife por breve período, em 1918, sucedido pelo jovem pastor José Munguba Sobrinho (1918-1919), quando a igreja convidou Orlando Falcão (1919-1923) e que concluía sua formação nos Estados Unidos. 

9. O ministério Orlando do Rego Falcão (1919-1923). O pr Orlando Falcão assumiu o pastorado da PIB Recife em 1919, quando as relações entre missionários e nacionais estavam tensa. A questão do sustento pastoral nas igrejas era o pano de fundo, embora houvessem outros aspectos. O assunto desaguou no movimento radical, de triste memória (1923) envolvendo as igrejas batistas no Estado, os pastores nacionais e os missionários americanos, que se dividiram em dois grupos. O pastor Orlando Falcão apoiou os nacionais e, sem explicação, mudou de lado para apoiar os missionários. A igreja o exonerou do pastorado (1923) com 143 membros, os quais com ele se inte-graram na congregação da Rua da Concórdia, que deu origem a IB da Concórdia.

10. O ministério Adrião Onésimo Bernardes (1923-1926). O pastor Adrião Bernardes foi eleito para pastor da PIB Recife (1923), em meio ao tumulto movimento radical e a dirigiu por breve e agitado período. O movimento se encerrou em 1938, os membros das igrejas e pastores se filiaram à Convenção Batista Pernambucana. O resultado, em particular 1923 e 1926 foi, apesar de tudo, o crescimento do Reino de Deus, em igrejas e membros, numa proporção maior do que em qualquer outro período porque “todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam ao Deus”. Adrião Bernardes casou com Ada Gueiros, filha do pastor Jeronymo Gueiros, originando a família Gueiros Bernardes, que se destacam na área jurídica em São Paulo e Brasilia. 

11. O ministério José Vidal de Freitas (1927-1936). O pastor Jose Vidal de Freitas era aluno do Seminário quando irrompeu o movimento radical do qual participou ativamente. Assumiu o pastorado da PIB Recife em 1927, enfatizando o ensino bíblico e o doutrinamento dos membros, dirigindo-a até 1936, quando se mudou para o Piauí. Ingressou na Faculdade de Direito do Recife, recebendo o grau de bacharel em 1935. Em Corrente (PI), exerceu o cargo de juiz de direito, lecionou no Instituto Batista e pastoreou a IB Correntes. Casado com Laura Gonçalves, o casal teve os filhos Helio, Célio, Glyce, Luis Sylvio e Sergio Luis, com Helio e Luis Silvio abraçando o ministério pastoral. Vidal de Freitas foi chamado à presença do Senhor (10.06.1988) em Teresina (PI). 

12. O ministério Adolfo Lira do Rego (1936-1960). Adolfo Lira do Rego em Areias de Goiana (hoje Itaquitinga) e se converteu na IB Itabaiana (PB), ouvindo a pregação de Adrião Bernardes. Assumiu o pastorado da PIB Recife em 1936 conduzindo-a até 1960, no segundo mais longo ministério da Igreja. Bacharel em Ciências e Letras e Línguas Anglo-Germânicas, dedicou sua vida ao ministério pastoral e ao magistério, dirigindo o Seminário Batista Brasileiro e o Colégio Pan-Americano, sendo o redator do Batista Pernambucano. 

13. O ministério Hélio Vidal de Freitas (1960-1994). Helio Vidal de Freitas nasceu em Gravatá (1926) onde o pai era pastor batista. Estudou no Colégio Americano Batis-ta (Recife) e ingressou na Escola de Engenharia da UFPE), graduando-se Engenheiro Mecânico. Batizado na infância, recebeu a formação cristã e teológica no lar, ouvin- do a pregação do pai, Vidal de Freitas. Envolvido no trabalho da Juventude e na admi nistração da IB Recife, passou a pregar com regularidade, em eventos evangelísticos. Eleito e consa-grado ao ministério, dirigiu a PIB Recife durante 34 anos. Casado com Alaíde, o casal teve os filhos Jose Vidal Neto, Glilma, Alberto Cristiano, Isaac e Ana Cristina. O pastor Helio Vidal de Freitas foi chamado à presença de Deus em 23 de novembro de 1994. O pastor Helio Vidal de Freitas exerceu outro ministério - de engenheiro construtor templos - projetando e construindo de cerca de uma centena de templos batistas e de outras denominações no Estado de Pernambuco e fora do Estado, dedicando o talento à causa do Evangelho de Cristo. O filho Alberto Cristiano abraçou o ministério pastoral e hoje dirige a IB Emanuel em Boa Viagem, no Recife.

O fundador. O missionário Zacarias Clay Taylor é considerado o fundador da PIB Recife por ter sido o pioneiro no Recife (PE), batizando o primeiro batista no Esta do, embora o organizador da Igreja tenha sido Charles Daniel. 

Zacarias Taylor nasceu em 1851, em Jackson, Mississippi (USA). Na Guerra da Secessão a família perdeu os bens e se mudou para o Texas (1865). Ingressou na Universidade de Waco, Texas (1869) onde se graduou Bacharel em Artes e depois na Universidade Baylor, Texas (1875) onde recebeu o grau de Mestre em Teologia (1879). Consagrado ao ministério, assumiu o pastorado no Texas. O contato com o Hawthorne, agente da Convenção Batista do Sul (USA) e a leitura de “O Brasil e os Brasileiros”, de Kidder, o levaram ao Seminário de Louisville, para se preparar para o serviço missionário no Brasil. Casou com Kate Stevens Crawford (25.12.1881) e partiram para o Brasil (11.01. 1882), onde se reuniram a Anna e William Bagby, em Santa Barbara (SP), estudando a língua nacional com Antonio Teixeira Albuquerque. Os missionários e o pastor Albuquerque se dirigiram a Salvador (BA), em agosto de 1882, iniciando a pregação do Evangelho. Organizaram a PIB Bahia (15.10.1882), Salvador (BA). Meses depois, os Bagby (1884) partiram para o Rio de Janeiro (DF). 
Zacarias Taylor fundou (1886) o jornal O Eco da Verdade, que circulou até 1900. O casal Taylor teve quatro filhos e Katarin faleceu em Salvador (1892) e foi sepul-tada no Cemitério Britânico da Bahia. Viúvo, Zacarias Taylor casou a segunda vez com Laura Barton (1895) missionária que servira na China. Laura fundou o Colégio Ameri-cano Egidio (1898), em Salvador, depois transferido para Jaguaquara, com o nome de Colégio Batista Taylor Egídio. Zacharias Taylor organizou, ainda em Pernambuco, a IB Petrolina (1905), representada por ele na Assembléia de organização da CBB (1907). Escreveu “O retrato de Maria no céu” e traduziu “A História dos Batistas”, de Vedder. Faleceu (1919), em Corpus Christi, Texas, com a esposa Laura e uma filha, vitimas de maremoto que destruiu a cidade. 

O pastor titular. O reverendo Joel Bezerra de Oliveira, pastor titular da PIB do Recife, conferencista, fundador do Desafio Jovem do Recife (1984), entidade que atua há 24 anos na recuperação de drogados em Recife. O seu ministério ainda tem foco na capacitação de líderes que atuem nos respectivos ministério de forma mais saudável e com excelência. Coordenador estadual do Ministério de Apoio à Pastores e Igrejas, ligado a SEPAL, no qual tem ajudado a muitos pastores no Estado.

Pastor da Igreja Batista de Siriji 
Coordenador da Comissão de História da CBPE
 
(81) 3223.3050
contato@pibrecife.org.br
Avenida Conde da Boa Vista, 163
CEP: 50.060-002
Recife, Pernambuco
© 2017 Primeira Igreja Batista do Recife - Todos os direitos reservados. All Rights Reserved.